domingo, 8 de agosto de 2010

Dia dos Pais: sobre cardápios e dietas

Hoje papai não estará, pelo terceiro ano consecutivo, sentado à cabeceira da mesa da área de casa, para aquele almoço demorado de domingo, sempre feito a oito mãos. Cada duas, faziam pelo menos dois pratos. Pelo menos! Daí a se imaginar que em nenhum domingo havia menos que oito pratos deliciosos para serem saboreados no Dia dos Pais. E o bar abria cedo. A cerveja gelada já estava no copo às 10 horas.


Na verdade papai sempre disse que a melhor coisa que existia pra ele era um prato bem feito de macarrão. Daqueles comuns, mesmo. Simples como ele: ‘macarronada’ como ele fazia questão de frisar, com muito queijo ralado jogado por cima, depois do prato feito! Mas, mesmo assim, papai jamais dispensou um prato de macarrão qualquer que seja. Ele dizia, quase salivando, que o melhor macarrão era, na verdade, o cozido. E como gostava! Por isso mesmo, independente do cardápio de domingo, mesmo que os sabores não ‘ornassem’ entre si, o macarrão era cogitado como um dos pratos. Mas no Dia dos Pais a vontade dele era atendida sem que ele pedisse. O macarrão era majestade na mesa do almoço e, certamente, num prato fundo (por iniciativa própria dele), no jantar. Às vezes, rolava até uma garfada na virada da tarde. Gelado, mesmo.

Como dieta não é coisa de Deus, papai também não era uma pessoa muito fervorosa com os tais ditos de ‘o que comer’. Necesitava deles com uma certa frequência, mas burlava a todas as dietas. Me lembro bem que numa dessas, o cardápio de domingo era de apenas 600 calorias, tendo apenas uma fruta como sobremesa. (Aqui cabe uma nota: assim como eu, papai também o-di-a-va, com todas as forças, a tal da jaca.). Depois de comer um prato de legumes cozidos no vapor (ô, coisa sem graça...), duas colheres de arroz, duas de feijão, um filé de frango grelhado e uma colher de angu de milho verde, ele se levantou rapidamente e foi para a sala. Dizia que era pra conter a tentação, já que a fome continuava do mesmo tamanho. Mamãe foi atrás para saber o que queria de sobremesa. O diálogo foi curto, explicativo e de modo muito bem demonstrativo no quesito desespero:

Mamãe: Vai querer o que de sobremesa?

Papai: O que tem no cardápio?

Mamãe: Uma fruta.

Papai: Só uma?

Mamãe: Só.

Papai: Traz uma jaca!

Sem conseguir conter o riso e de ser condescendente com a situação, mamãe tentou mudar a escolha para uma melancia. Mas o que ele queria mesmo era voltar para a mesa e comer tudo que havia deixado de lado, por causa da dieta.

Outras vezes, papai seguia a dieta à risca em casa. Mas deixa todo mundo preocupado porque não emagrecia o que era esperado dentro do prazo dado pelo médico. A resposta veio muito tempo depois, quando a comida já não lhe trazia mais tanto prazer e a vizinhança começou a soltar as histórias. Segundo diziam, e isso papai chegou a confirmar, dentro de casa apenas salada e frango grelhado. Fora de casa, macarrão com queijo! E com um jeitinho especial, que só ele tinha, conseguia comer sem restrições em qualquer casa que entrasse. E, na maioria das vezes, era macarrão a oferta do anfitrião.

Hoje o macarrão parece ter menos molho, o queijo não parece ter o mesmo sabor e os almoços de domingo com um tempero diferente. Mas o Dia dos Pais, será, para sempre, um tanto sem sal!

Onde estiver, MEU PAI, feliz Dia dos Pais!

6 comentários:

Aline Leonardo disse...

He, se tem uma coisa que eu lamento é não ter conhecido melhor seu pai... suspeito que íamos nos dar MUITÍSSIMO bem! Pode apostar que de um jeito ou de outro ele estará perto de você hoje! Te amo, amigo!

Adevania Silveira disse...

Com certeza ele deve ter lido este post enquanto devorava um prato de macarrão feito por mãos divinas. Feliz dias dos pais, porque você, afinal, teve a honra de ser seu filho. Beijos. Fica feliz.

Mônica Novaes disse...

Lindo, meu querido!! E sentimos muito a sua falta na sexta-feira!! Beijão

Aline disse...

Eu dava maior apoio para ele pque amo a jaca... kkk... não é mesmo, Rimene? Bom lembrar destes momentos com a família. Divertido!

Nivea Amaral disse...

Como sempre , Chorei .
Meu Padrinho querido .

karenalves_souza disse...

RIMENE DO CÉU , COMO EU ME LEMBRO DESSAS TIRADINHAS DO DELCIDES PARA FAZER A GENTE SORRI. COMO ESSA : FICA AI ESSE RESTIM DE ANO!!! AMAVA ELE MUITO. ONDE ESTIVER DEL ,SAIBA QUE VC FOI MUITO AMADO POR TODOS!