sábado, 31 de março de 2012

Depois do temporal (atravessando a tempestade!)



É nos momentos em que o sofrimento bate que a gente se estapeia e consegue resolver aqueles pequenos probleminhas que achávamos serem eles os maiores. A cabeça afoita ao desespero coloca em jogo a importância de todo o resto e, os outros problemas, passam a ser considerados apenas incômodos que poder ser descartados da vida sem culpa, sem pena, sem preconceito, sem ressentimentos! Quando a tempestade passa, ficam o cheiro da água lavada, o silêncio tranqüilizador e a brisa refrescante... Pra trás, nada mais que lembranças de situações incômodas, que agora não incomodam mais. É a hora de começar a criar outros problemas para fazer o espírito crescer e conseguir acabar com todos eles, mais uma vez, e esperar o fim de mais um temporal!

Força, fé e sabedoria! É só o que precisamos.

Ótimo fim de semana!

Simplicidade e leveza

Simples, assim... simples e leve!

Cerrado uruguaio

quinta-feira, 29 de março de 2012

Balé aquático

Simplicidade

Queria, queria
Ter a singeleza
Das vidas sem alma
E a lúcida calma
Da matéria presa.

Queria, queria
Ser igual ao peixe
Que livre nas águas
Se mexe;

Ser igual em som,
Ser igual em graça
Ao pássaro leve,
Que esvoaça...
...

Pedro Homem de Mello

Wonderwall

Because maybe
You're gonna be the one that saves me
And after all
You're my wonderwall

quarta-feira, 28 de março de 2012

terça-feira, 27 de março de 2012

Luz

Há sempre uma luz no fim do túnel... O problema é quem sempre tem um alicate para cortar as grandes...

Diga "Até logo!"

Já se vai ele novamente. Mais um fim de dia. Mais um começo de noite! Nada muito diferente na vida, nenhuma mudança. Poucos acréscimos à sabedoria, pouco tempo aproveitado, muito tempo esquecido. De certo, a garrafa de vinho deitada na prateleira do bar será a companhia de uma noite solitária, sem esperas, sem grandes motivações. Só tranqüilidade, quietude e paz. Amanhã ele estará de volta novamente, quente e claro para mais um dia que ainda não sabemos o que há de se esperar.

Luz do sol

Luz do sol
Que a folha traga e traduz
Em ver denovo
Em folha, em graça
Em vida, em força, em luz...

Céu azul
Que venha até
Onde os pés
Tocam a terra
E a terra inspira
E exala seus azuis...

Reza, reza o rio
Córrego pro rio
Rio pro mar
Reza correnteza
Roça a beira
A doura areia...

Marcha um homem
Sobre o chão
Leva no coração
Uma ferida acesa
Dono do sim e do não
Diante da visão
Da infinita beleza...

Finda por ferir com a mão
Essa delicadeza
A coisa mais querida
A glória, da vida...

Ô Cláudiaaaaaaa...

Ode Marítima

Ah, todo o cais é uma saudade de pedra!
E quando o navio larga do cais
E se repara de repente que se abriu um espaço
Entre o cais e o navio,
Vem-me, não sei porquê, uma angústia recente,
Uma névoa de sentimentos de tristeza
Que brilha ao sol das minhas angústias relvadas
Como a primeira janela onde a madrugada bate,
E me envolve com uma recordação duma outra pessoa
Que fosse misteriosamente minha.
...
Álvaro de Campos

segunda-feira, 26 de março de 2012

Cancionata

Como o visgo atado no sangue das paredes,
como a poesia que não se escreve com palavras,
como a solidão procurando seu próprio espelho,
como o labirinto de onde o pensamento voa.
...
Marcio Almeida

Enjoy!

Aí você lembra que ao chegar em casa, ninguém vai estar esperando ansioso. É só você, o controle remoto e a lasanha semi-pronta. Mais um dia que poderia muito bem ser apagado. Gritaria no trânsito, um almoço sem gosto, a correria de sempre. Desperdício de vida.

Onde está o sorriso que a propaganda de margarina prometeu vir incluso na compra? Quando foi a última vez que eu realmente me diverti, dancei até cair, esqueci meus problemas, faltei numa reunião por acordar atrasado? Ainda dá tempo de fazer alguém feliz, saltar de pára-quedas, escrever um livro?

Verônica H.

Trigêmeos

Sobre o mar

domingo, 25 de março de 2012

Prece ao sol

E então, senhor sol, já vai indo?
Obrigado pela visita e pelo calor que me trouxe.
Foi bom ter você durante todo o dia e será muito melhor ter você por aqui amanhã, novamente!
E poder contar com esta certeza e com a sua benevolência.
Em troca, posso abrir meus braços... estender minha alma... acalentar meu espírito e espichar meu corpo!
Que se faça a sua força onde quer que estejas enquanto não estiver iluminando caminhos e aquecendo corações.
Sem querer desmerecer a sua imensidão, me volto ao mar para escutar o seu chiado de sono profundo, para dar licença e liberdade para mais uma noite de sono, de estrelas e de sonhos.
Que todos eles - os que sejam bons! - se realizem quando você voltar e recomeçar a sua jornada.
Boa noite, senhor, até a volta, amanhã! Aguardo-o com a mesma certeza de ontem...

Rimene

Somewhere only we know?

I walked across an empty land
I knew the pathway like the back of my hand
I felt the earth beneath my feet
Sat by the river and it made me complete

Oh! Simple thing where have you gone
I'm getting old and I need something to rely on
So tell me when you're gonna let me in
I'm getting tired and I need somewhere to begin

I came across a fallen tree
I felt the branches of it looking at me
Is this the place, we used to love
Is this the place that I've been dreaming of

Oh! Simple thing where have you gone
I'm getting old and I need something to rely on
So tell me when you're gonna let me in
I'm getting tired and I need somewhere to begin

And If you have a minute why don't we go
Talking about that somewhere only we know?
This could be the end of everything
So why don't we go
Somewhere only we know?
(Somewhere only we know)

Oh! Simple thing where have you gone
I'm getting old and I need something to rely on
So tell me when you gonna let me in
I'm getting tired and I need somewhere to begin

And If you have a minute why don't we go
Talking about that somewhere only we know?
This could be the end of everything
So why don't we go
So why don't we go

This could be the end of everything
So why don't we go
Somewhere only we know?
Somewhere only we know?
Somewhere only we know?

Ai, quem me dera

Ai quem me dera, terminasse a espera

E retornasse o canto simples e sem fim...
E ouvindo o canto se chorasse tanto
Que do mundo o pranto se estancasse enfim

Ai quem me dera percorrer estrelas
Ter nascido anjo e ver brotar a flor
Ai quem me dera uma manhã feliz
Ai quem me dera uma estação de amor

Ah! Se as pessoas se tornassem boas
E cantassem loas e tivessem paz
E pelas ruas se abraçassem nuas
E duas a duas fossem ser casais

Ai quem me dera ao som de madrigais
Ver todo mundo para sempre afins
E a liberdade nunca ser demais
E não haver mais solidão ruim

Ai quem me dera ouvir o nunca mais
Dizer que a vida vai ser sempre assim
E finda a espera ouvir na primavera
Alguem chamar por mim...

Paradise

When she was just a girl

She expected the world
But it flew away from her reach
So she ran away in her sleep

And dreamed of para-para-paradise
Para-para-paradise
Para-para-paradise
Every time she closed her eyes

Ooohh

When she was just a girl
She expected the world
But it flew away from her reach
And bullets catch in her teeth

Life goes on
It gets so heavy
The wheel breaks the butterfly
Every tear, a waterfall
In the night
The stormy night
She closed her eyes
In the night
The stormy night
Away she flied

And dreamed of para-para-paradise
Para-para-paradise
Para-para-paradise
Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh

She dreamed of para-para-paradise
Para-para-paradise
Para-para-paradise
Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh

La-la-la-la-la

Still lying underneath the stormy skies
She said oh-oh-oh-oh-oh-oh
I know the sun's set to rise

This could be para-para-paradise
Para-para-paradise
This could be para-para-paradise
Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh

This could be para-para-paradise
Para-para-paradise
This could be para-para-paradise
Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh

Ooohh

This could be para-para-paradise
Para-para-paradise
This could be para-para-paradise
Whoa-oh-oh oh-oooh oh-oh-oh

A comensal

A modelo

quarta-feira, 21 de março de 2012

sexta-feira, 16 de março de 2012