sábado, 23 de agosto de 2008

Ouro inédito. Hora de cair na real!

É incrível a capacidade que o brasileiro tem de se emocionar com situações isoladas. Hoje, a seleção Brasileira Feminina de Voleibol venceu a seleção norte-americana – a potência mundial – por três sets a um. No último ponto, mesmo com a fala insistente e chata de Galvão Bueno, consegui me emocionar. A princípio parece demais ver aquelas meninas chorando, o Zé Roberto (técnico) deitado no chão e um ginásio inteiro aplaudindo.

É incrível como o esporte, com tão pouco incentivo do governo, ainda consegue mexer com o brio de um brasileiro. Por alguns momentos, o Brasil deixa de ter corrupção, fome, guerra do tráfico, trânsito violento, lei seca, fome, mortalidade infantil... por alguns momentos, até que o pódio seja desmontado, a alegria dos brasileiros pode fazer com ele pense estar vivendo em um país onde o esporte tem todo o subsídio necessário para trazer cada vez mais medalhas. Parece um país de primeiro mundo, onde os problemas são deixados de lado sempre, mas aqui é só por alguns minutos. É incrível a capacidade que o brasileiro tem de reservar alguns momentos na sua vida para se emocionar com a vitória de uma turma desconhecida para a maioria. Essa comemoração vai um pouco além: amanhã é domingo! Depois vem a segunda-feira e tudo volta a ser como antes. Esse é o Brasil e esses são os brasileiros.

Lágrimas em verde e amarelo se misturam ao suor e a voz embargada canta o Hino Nacional Brasileiro, que soa diferente das vezes em que ele é tocado em cerimônias oficiais, quando a bandeira é encarada por pessoas que, muitas vezes, mal sabem o que entoam. Desta vez, o hino vem com lágrimas de felicidade, dentro de uma quadra e não dentro de um auditório, previamente estabelecido antes que algum figurão solte o verbo e imponha suas idéias. Tudo blá-blá-blá! Assim, na quadra, o hino ainda emociona.

A TV vai falar muito ainda. Sabe por quê? Porque só é notícia aquilo que foge do comum. E fazer um brasileiro se emocionar está ficando cada vez mais difícil. Por isso, o ouro dessas meninas é como um bálsamo para um povo que sofre calado, dia-a-dia, com as mazelas impostas pelos poderes corruptos que tiram de todos – e também dos desportistas – o direito a ter mais momentos como esse e não apenas de quatro em quatro anos, quando chegam as olimpíadas.

Viva os brasileiros!

3 comentários:

KK disse...

Já pensou se tivesse um moooonte de ouros pros atletas brasileiros e o povo ficasse bem enganadin?! E a alegria durasse assim, um ano todo?! Ia ser o melhor país do mundo, o Brasil. Será que a China está bem, bem, bem, bem, bem, emocionada?

Alpinista Social disse...

Oi Rimene, não sabia que tinha blog, quero ler tudo despues...

Rimene Amaral disse...

quem é o alpinista social???